top of page

SCULP - ArtBio + Rede D'Or

Participo com a obra A Mesa (Bife a Cria) do projeto SCULP, realizado pela ArtBio



A Mesa - "Bife a cria" faz alusão ao prato bife a cavalo comumente encontrado na cultura portuguesa e brasileira composto por carne, saladas e batatas com um ovo por cima. "Cria" é uma expressão popular utilizada no Rio de Janeiro para designar moradores que são nascidos e criados em determinada comunidade. Se formos à origem da palavra nos dicionários poderemos encontrar a alusão ao grupo de animais mantidos pelo dono, para sustento próprio ou para comercialização. A obra coloca em questão a máquina pública, o genocídio, guerra civil, carnificina e produção de violência que envolve o Rio de Janeiro. Por décadas o poder público por meio de suas instituições oficiais e extraoficiais de "segurança" criminaliza e assassina uma parcela muito específica da população do estado: jovens, pobres e negros. Um levantamento produzido pela Rede de Observatórios da Segurança (2021) constatou que a cada quatro horas um negro é morto pela polícia no Brasil. Das mais de 2.600 mortes em ações policiais em 2020, 82,7% das pessoas eram negras. O Rio de Janeiro lidera as estatísticas: só na capital fluminense 90% dos mortos eram negros.



Sobre SCULP: A distopia em cartão postal


Tendo o Rio de Janeiro como cenário particular e universal dessa distopia, exótica periferia do capitalismo global e capital do atraso pós-colonial brasileiro, a exposição explora o 'futuro passado atual' e propõe uma reflexão crítica sobre a realidade e os rumos da humanidade a partir de obras-postais para além da beleza tropical e dos turistas de carnaval.


Todas as obras estão disponíveis online em https://www.artbiobrasil.org/sculp

Artistas:

Alberto Pereira

Anna Janot

Diego Max

Ingrid Bittar

Jesso Alves

João Colagem

Luciano Feijão

Marcel Lisboa

Marcia Albuquerque

Mauricio Planel

Pietra Canle

Silas Sena


SCULP é patrocinado pela Rede D'Or através da Lei Federal de incentivo à cultura.

ArtBio - cultura como educação permanente não formal e ciência como parte integrante da cultura.

bottom of page